Grupo cria documento O Futuro das Bicicletas em São Paulo para candidato eleito

o-futuro-das-bicicletas

Fonte: Cidade Para Pessoas.

Com objetivo de melhorar a qualidade da rede de vias cicláveis em São Paulo e aumentar incentivos ao uso de bicicletas, quatro pessoas e três entidades criaram o documento “O Futuro das Bicicletas em São Paulo – recomendações para a gestão João Dória Jr” com os dados, pesquisas e informações mostrando a importância de incentivar o uso das bicicletas na cidade.

“Somos Ariel Kogan, engenheiro, Carolina Ferrés, designer, Denis R. Burgierman, jornalista, e Natália Garcia, jornalista. Assinamos esse documento como pessoas físicas, mas também com as entidades que criamos e/ou representamos: Cidades para Pessoas, Café na Rua e Open Knowledge Brasil”, disse Natália Garcia, do Cidade para Pessoas.

O documento foi apresentado à assessoria do prefeito eleito João Dória Jr. e enviado, por e-mail, no dia 17/10, com objetivo de elucidar essa questão, mostrando a importância do incentivo às bicicletas neste momento em São Paulo.

Conversamos com Natália Garcia sobre a criação do documento, a mobilização e os próximos passos. Confira!

OKBR: Como surgiu a ideia de criar o documento?

Natália: Somos um grupo diverso de pessoas que têm, em comum, o entendimento sobre os benefícios que o uso de bicicletas traz para uma cidade. E também somos cidadãos preocupados com as primeiras declarações do prefeito eleito, que indicavam que ele pensava em remover algumas das ciclovias criadas na gestão Haddad, quando entendemos que seu trabalho deveria ser exatamente o contrário: adensar a rede de vias cicláveis na cidade. Uma das integrantes desse nosso grupo, a Carolina, já tinha contato com esse assessor a partir de outros projetos e fez a ponte para que pudéssemos ir até ele levar essas questões. Após a reunião, nos comprometemos em preparar esse documento para reunir os dados e fatos que mencionamos na conversa. Após a entrega, decidimos publicar uma versão ilustrada desse documento, em que há informações publicamente relevantes para esse debate.

OKBR: Conte um pouco mais sobre o grupo.

Natália: Esse documento foi criado por quatro pessoas que têm em comum a visão de que o uso da bicicleta faz bem a São Paulo. Essa não é exatamente nossa maior causa individualmente, mas uma visão que compartilhamos, entre várias outras. Acredito que nós quatro temos em comum a percepção da cidade como uma plataforma de inovação, um sistema complexo que pode gerar soluções para os nossos piores problemas. Somos Ariel Kogan, engenheiro, Carolina Ferrés, designer, Denis R. Burgierman, jornalista, e Natália Garcia, jornalista. Assinamos esse documento como pessoas físicas, mas também com as entidades que criamos e/ou representamos: Cidades para Pessoas, Café na Rua e Open Knowledge Brasil.

OKBR: Como foi a conversa com o assessor do prefeito e a entrega do documento?

Natália: Essa entrega foi feita no dia 17 de outubro, segunda-feira, por e-mail, após uma reunião presencial que tivemos com ele. Esse assessor disse que tem recebido grupos organizados da cidade em torno de temas e/ou causas para ouvir suas demandas. Fomos até ele mostrar que incentivar o uso de bicicletas na cidade de São Paulo beneficia não apenas a mobilidade urbana da cidade mas gera ganhos indiretos – melhora a qualidade do ar, ameniza o aquecimento local, atrai turistas, demanda uma infraestrutura muito mais barata do que modais motorizados, melhora a economia e tende a aumentar o rendimento escolar das crianças que pedalam. Nessa conversa, nosso objetivo era mostrar que a necessidade de incentivo às bicicletas não é uma questão ideológica, mas científica. E que esse incentivo pode ser feito com estruturas diversas, não apenas ciclovias exclusivas para bicicletas como também vias compartilhadas, adensando a rede ciclável na cidade.

OKBR: Já tiveram um posicionamento do Prefeito em relação ao documento?

Natália: O documento foi recebido e encaminhado aos responsáveis por assessorar o prefeito nessa questão. Ainda não temos um posicionamento claro. Mas vale lembrar que na mesma semana que fomos recebidos para a reunião, Dória pedalou com cicloativistas na cidade e sinalizou que vai olhar mais profundamente para essa questão.

OKBR: Quais são os próximos passos do grupo em relação ao documento e ao tema?

Natália: Acredito que será difícil ter avanços reais enquanto o secretário de transportes não é escolhido. Mas nossa intenção é seguir o contato e manter o diálogo aberto com essa gestão para podermos colaborar com a cidade. Caso a gestão se feche para nossa colaboração, vamos repensar a estratégia. Fato é que essa e outras questões fundamentais para a cidade – como a gestão da água que bebemos, a relação com os rios que passam pelo nosso território, a cura das pessoas que não conseguem parar de usar crack – precisam ser olhadas com menos partidarismo e mais complexidade.

>> O documento também está disponível para ser visualizado no álbum O Futuro das Bicicletas em São Paulo, na página do Cidades Para Pessoas, no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *