OKBR participa do Hack In Sampa na Câmara Municipal de São Paulo

Vista geral dos participantes do Hack in Sampa. Foto: Horizon Four

Entre a manhã do sábado (3/06) e a tarde de domingo (4/06), aconteceu o Hack In Sampa: “Como prevenir a corrupção e combater o desperdício de recursos públicos” no plenário da Câmara Municipal de São Paulo. Ao todo, por mais de 30 horas, mais de 50 participantes ocuparam o local para desenvolver aplicativos com dados da transparência disponibilizados pelo Legislativo e Executivo da cidade.

Peter Krauss e Marco Zanchi, ambos da comunidade OKBR, participaram do evento como mentores. “O evento foi uma excelente oportunidade de fomentar o uso de novas tecnologias na administração pública e no desenvolvimento de cidadania. Entre os aplicativos sugeridos, estavam uma visualização dos gastos dos vereadores da câmara e um sistema de controle da frota da prefeitura via GPS e rádio”, contou Marco. Segundo ele, a participação da Open Knowledge foi importante no compartilhamento da expertise e também para auxiliar o acesso à bases de dados.

“Um dos destaques foi o formato desse Hackathon. Ela não terminou no último dia do evento. No domingo, o julgamento da banca foi uma espécie de triagem. Os grupos vencedores passaram para a segunda fase. Agora, vão ter mais 1 mês para desenvolver algo mais completo”, disse Peter.

O evento, organizado pelo vereador José Police Neto e pela empresa Horizon Four, contou com apoio da Câmara Municipal de São Paulo e a ajuda da IBM, da Controladoria Geral do Município (CGM) e da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP).

Os cinco times finalistas vão desenvolver seus projetos em uma incubadora (vão participar de oficinas e palestras). A final da maratona acontece no dia 3 de julho, também na Câmara, e o vencedor vai receber um prêmio de R$ 10 mil. Confira, abaixo, os times e projetos finalistas.

Sheeps Innovation Integrantes: Gustavo Murayama, Lucas Tornai, Ludmila Vilaverde, Carlos Torres e João Farret. Projeto: Criar uma plataforma que identifique comportamentos propensos à corrupção, com a utilização de inteligência de dados. Os critérios são: as realizações de cada político, alocação de gastos públicos, confiabilidade e denúncias às quais responde.

Luppa Integrantes: Igor Luiz, Araan Branco, Austin Felipe, Mateus Catossi e Magno Rocha. Projeto: Fiscalizar gastos públicos e facilitar a criação de uma petição. A proposta faz uma comparação das compras, com valor de mercado, dando uma lista do que está irregular. A população decidirá qual gasto terá petição.

Specula Integrantes: Kevin Dantas Shih, Wendel Nascimento, Patrick Ens, Pedro Lelis e Rafael Pettersen. Projeto: Elaborar uma ferramenta que analisa e trata os dados abertos do governo e encontra incongruências, prevenindo superfaturamento ou outras práticas ilícitas.

Águias SP Integrantes: Erica Lima, Denis Magalhães e Jeff Prestes. Projeto: Descobrir e catalogar os preços pagos pela Prefeitura em produtos e serviços.

Quebrando Barreiras Integrantes: Kazuyuki Ueda, Fernando Hungaro, Tatiane Silva e Bruno Lemos. Projetos: Desenvolver análises de fácil entendimento para que qualquer pessoa tenha conhecimento sobre os gastos públicos.

Com informações do Portal da Câmara Municipal de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *