Mapeamento mostra interesse de cidadãos em replicar o ODI em diversas cidades brasileiras

No dia 30 de junho, finalizamos a enquete “Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?” e o resultado foi bastante positivo: 216 pessoas mostraram interesse em fazer o levantamento de forma voluntária em suas cidades! Em breve, vamos enviar um e-mail para todos para compartilharmos os próximos passos do projeto.

O objetivo da enquete foi mapear grupos de pessoas e organizações interessadas em realizar o levantamento Índice de Dados Abertos. A meta principal foi ampliar a abrangência da pesquisa e, principalmente, conhecer melhor a situação das políticas de transparência e Dados Abertos em outros municípios brasileiros. A iniciativa é da Open Knowledge Brasil (OKBR) e da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (FGV DAPP).

“Ficamos surpresos e felizes com um número de pessoas interessadas em construir o ODI nas mais diversas regiões do Brasil. A agenda de transparência e dados abertos ganham cada vez mais espaço na participação da sociedade civil no processo de abertura dos governos”, conta Ariel Kogan, diretor-executivo da Open Knowledge Brasil.

O próximo passo é a definição das primeiras cidades que vão ter o Índice de Dados Abertos. E, logo após, o foco é começar a capacitação das pessoas que vão realizar esse levantamento.

Aguardem os próximos passos que vamos executar!

O Índice de Dados Abertos

Em abril e maio deste ano, a Open Knowledge Brasil (OKBR) e a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (DAPP) lançaram as edições brasileiras do Open Data Index (ODI). Ao todo, foram construídos três levantamentos para o país: Open Data Index (ODI) Brasil, no nível nacional, e ODI São Paulo e ODI Rio de Janeiro, no nível municipal.

O objetivo do Índice de Dados Abertos é avaliar o estado da política de dados abertos de cada país ou cidade, levando em consideração todas as suas características: o tipo de dado que é divulgado, os formatos, a facilidade de acesso e a transformação dos dados em informação, entre outras.

Ele avalia diversas dimensões, tais como finanças públicas, dados socioeconômicos, legislativos e eleitorais, serviços públicos, informações geolocalizadas e indicadores ambientais. O índice oferece um parâmetro de referência sobre a capacidade dos governos de fornecer dados abertos, apresentando essa informação de forma clara, fácil entendimento e usabilidade.

Leia também:Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *