Primeiro dia do Coda.Br começa com discussão sobre eleições de 2018

Com o auditório lotado, o Coda.Br começou na manhã deste sábado (25/11) na FAAP, em São Paulo (SP), com a mesa “Jornalismo de dados a serviço do combate à desinformação nas próximas eleições”. O debate teve a participação de Florencia Coelho (La Nación Data), Fábio Malini (UFES) e José Roberto Toledo (Estadão), com moderação de Daniel Bramatti (Estadão Dados).

O Coda.Br – realizado pela Escola de Dados, em parceria com o Google News Lab – é o primeiro evento do Brasil focado em jornalismo de dados e reúne os melhores profissionais do mercado para trocar ensinamentos e experiências sobre a área. A conferência conta com a parceria da FAAP e apoio da Abraji, La Nación Data, Knight Center for Journalism in the Americas e Python Software Foundation.

Na parte da manhã, os participantes tiveram a oportunidade de aprender mais sobre raspagem de dados, bibliotecas python, tratamento de dados, criptografia e análise de redes. Fernando Masanori, professor da FATEC de São José dos Campos, apresentou uma ferramenta que pode ser uma mão na roda para os jornalistas que ficam soterrados sob grandes bases de dados. É o Pandas, biblioteca de estruturação e análise de dados em Python.

“É tão útil para ler microdados que parece bruxaria”, brincou o professor. “O Pandas permite ter uma visão geral que você não conseguiria vendo um pedacinho do dado. Com ele, consigo chegar a conclusões que não chegaria antes.”

Masaroni garantiu que aprendeu Pandas em 10 minutos – e compartilhou um tutorial no GitHub para quem também quer usar a biblioteca. “Não precisa deixar de comer nem de dormir para aprender Pandas. É só deixar de tomar um café”, brincou.

O coordenador do Google News Lab, Marco Túlio Pires, compartilhou dicas simples e complexas de pesquisa durante o workshop “Masterizando a pesquisa avançada do Google”. Entre elas, comandos específicos para facilitar a investigação de arquivos e a busca de documentos em diversos formatos. Para Luana Copini, assistente de comunicação da Rede Nossa São Paulo, o encontro foi produtivo por elucidar mecanismos de busca de diferentes níveis. “São ótimas ferramentas para o nosso dia a dia, inclusive para monitorar fake news, informações históricas.”

No workshop “Com que dado eu vou?”, Tiago Mali (Abraji) apresentou aos alunos uma série de sites de transparência para investigar os dados públicos. Seja na área de saúde, com o Datasus, ou na de política, com os portais de transparência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Uma seção desses portais que costuma render boas pautas, segundo Mali, é a que expõe os gastos com cota parlamentar. “O Eduardo Cunha, por exemplo, usava dinheiro público para abastecer os carros privados dele”, citou.

Além dessas atividades, aconteceram 16 workshops:

<

ul>

  • Faxina Jedi: como usar o Google Cloud Dataprep para limpar bases de dados (Marco Túlio Pires)
  • Criptografe! Ferramentas de segurança da informação para jornalistas (Joana Varon e Amarela)
  • Toolkit essencial do lobo solitário (Juan Torres)
  • Introdução à lógica de programação (Érika Campos)
  • Análise de Redes em Mídias Sociais: começando sem erros (Tarcízio Silva)
  • Eu robô’ no “Google Sheets: transforme seu processador de planilhas num repositório e raspador de dados sem gastar um tostão (Marco Túlio Pires)
  • Mentiras, mentiras deslavadas e estatísticas (Daniel Mariani)
  • Entrevistando bases de dados para responder questões de gênero (Natália Mazzote)
  • Explorando dados de financiamento de campanha com SQL (Adriano Belisário)
  • Processamento de Linguagem Natural: aplicações em jornalismo e pesquisa (Ana Schwendler)
  • Masterizando a pesquisa avançada do Google (Marco Túlio Pires)
  • Histórias que sacamos de mapas (Daniel Bramatti)
  • Como construir transparência editorial em equipes de jornalismo de dados (Jennifer Stark)
  • Lava Data: ‘Lidando com dados sujos e mal estruturados com Open Refine (Natália Mazotte)
  • Github para jornalistas – repositório de dados e publicação de projetos (Sérgio Spagnuolo)
  • Graph Databases: Discutindo o Relacionamento dos seus Dados com Python (Nicolle Cysneiros)

    O primeiro dia da conferência acabou com as Lightning Talks, em que cada palestrante teve sete minutos para contar histórias de iniciativas inovadoras que aplicaram e ganharam destaque. A cofundadora do Nexo Jornal Renata Rizzi, por exemplo, explicou o processo de produção de alguns gráficos do site, que tem ocupado espaço importante no cenário de jornalismo de dados no país. “É preciso narrar bem o que está acontecendo, não só colocar uma observação com asterisco”, apontou.

    O Coda.Br continua no domingo (26/11). O dia começa com um tema bem específico – algoritmos e robôs – e termina propondo uma reflexão mais ampla sobre o futuro do jornalismo de dados. Acompanhe a cobertura pelo Twitter @escoladedados ou pelas hashtags #codabr e #aprendinocoda.

    Texto por: Equipe Coda.Br

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *