Belo Horizonte recebe Hackacity em dezembro

Belo Horizonte. Foto: Pixabay / Creative Commons CC0.

Entre os dias 8 e 10 de dezembro, a capital de Minas Gerais vai receber o Hackacity Belo Horizonte, no edifício Rainha da Sucata, sede do projeto HUB Minas Digital. O evento é uma maratona de desenvolvimento de soluções tecnológicas para promover melhorias para a cidade. O objetivo é analisar bancos de dados públicos e promover sua utilização no desenvolvimento de soluções que tenham impacto positivo na gestão das cidades. A iniciativa é mundial, com edições na Espanha, Croácia, Portugal, Brasil e Alemanha.

A competição conta com a realização da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (SEDECTES), em parceria com a cidade portuguesa de Porto, e coordenada por Cláudio Nascimento, vice-presidente da Rede, por um time de técnicos, além da equipe do Hub Minas Digital.

Soluções em conjunto

Os participantes são incentivados a criar aplicações que busquem resolver desafios vividos pelos cidadãos. As equipes, após 24 horas de programação, apresentam suas soluções para uma banca avaliadora, formada por jurados de diversas áreas. As equipes vão ser premiadas e seus projetos, após testados, vão ser utilizados pela gestão pública.

Lucas Parreiras, analista de sistemas há 11 anos com foco em bancos de dados, é um dos participantes do Hackacity. Ele formou uma equipe para participar de evento. “Tem um tempo que venho acompanhando alguns dados abertos e iniciativas que trabalham com tais dados, como o caso do projeto Serenata de Amor. Por esse motivo, tive interesse de participar do ODI regional junto com a OKBR. Quando vi a notícia que iria ter Hackacity em Belo Horizonte, pensei: preciso participar e conhecer melhor os dados da minha cidade e tentar produzir algum aplicativo que possa beneficiar a população. Assim, convidei dois amigos para montar uma equipe e participar do evento. O principal objetivo é conhecer melhor os dados da nossa cidade e conhecer outras pessoas com interesse em dados abertos e que estejam ligados à tecnologia da informação”, afirma.

Lucas diz que é possível que entrem mais duas pessoas no grupo durante o evento (segundo o regulamento, cada equipe deverá ter cinco integrantes). Ele conta que já estão se preparando para o dia. “Um dos integrantes é o João André, que é engenheiro mecânico recém-formado. O outro é Samuel, que é analista de sistemas com foco em desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis. Além de procurarmos informações sobre o Hackacity, também analisamos alguns datasets disponibilizados pela Prefeitura de Belo Horizonte para podermos vislumbrar alguma solução”, detalha.

Com informações do portal SIMI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *