Open Data Day Fortaleza 2019: os highlights do evento

  • Texto por Thays Lavor

Este ano, o Open Data Day chegou à capital cearense com uma vasta programação, incluindo oficinas, debates, web-conferência e palestras. As atividades buscaram a interdisciplinaridade das áreas do conhecimento e envolveram servidores públicos, desenvolvedores, designers, estatísticos, cientistas sociais, economistas e jornalistas.

Ciência aberta, rastreamento do fluxo de dinheiro público, mapeamento aberto e desenvolvimento igualitário. Focado nestes quatro eixos o Open Data Day Fortaleza reuniu um público de 50 pessoas com o objetivo de incentivar governos, empresas e a sociedade civil a usarem dados abertos em suas iniciativas.

Durante essa edição do evento foram apresentadas ferramentas, leis e métodos importantes para se trabalhar com os dados públicos disponíveis atualmente. Um dos principais resultados das oficinas foi a extração dos gastos dos 46 deputados estaduais com a  Verba de Desempenho Parlamentar (VDP). Apesar de estarem disponibilizados no site da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), os dados encontram-se em formato fechado, no caso PDF, o que dificulta a análise por parte da sociedade em geral.

Foram obtidas informações da última legislatura, 2015 a 2018, e dos primeiros meses da nova composição da AL-CE, empossada este ano. O resultado da extração aponta que dentre as 20 categorias de despesas permitidas pela VDP,  os maiores gastos por ano dos parlamentares são com combustível, refeição e serviços de telecomunicações.

Além de estarem bem sujos, com repetição de nomes e não padronização da nomenclatura, espaço vazios, entre outros problemas, verificou-se também uma padronização dos valores dos gastos em diversos meses. Um exemplo é o gasto com combustível, é difícil encontrar um  valor diferente de R$ 6 mil.

Fora os problemas apresentados acima, existe ainda a falta de transparência com as despesas. Isso porque  os gastos não são detalhados, ou seja, é impossível saber quem são os fornecedores e CNPJs, pois a documentação, incluindo notas fiscais que possam comprovar os gastos de cada parlamentar,  não é apresentada. A casa registra apenas que o dinheiro foi gasto com uma determinada categoria.

O trabalho de extração, limpeza e visualização destes dados foi feito pelos pelos cientistas da computação André Campos, que ministrou a oficina de web scraping com R, Riverson Rios, responsável pela limpeza de dados, e Emanuele Santos, responsável pela oficina de visualização de dados com R. Os códigos utilizados para a raspagem estão disponíveis neste link e os de visualização aqui. Já o arquivo em CSV pode ser acessado neste link.

Além das três oficinas acima citadas, o evento também contou com uma atividade de introdução ao R, com as cientistas sociais Carla Marques e Isabel Melo. Já os debates giraram torno da importância de temas como Lei de Acesso à Informação (LAI), Mapeamento Aberto, Dados Abertos e Jornalismo de Dados para a democracia.

O evento foi encerrado com o Cerveja Com Dados, uma iniciativa da Escola de Dados que busca aproximar pessoas interessadas no trabalho com dados a partir de um bate-papo informal. As famosas lightning talks contaram com apresentações de Eduardo Cuducos (Operação Serenata de Amor), Alessandra Benevides (educLAB – UFC), Mapa Cultural (André Lopes – Secult) e apresentação do produto final das oficinas do Open Data Day – Fortaleza.

O Open Data Day Fortaleza 2019 foi organizado pela jornalista Thays Lavor e a equipe da Casa da Cultura Digital Iracema – equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza –  que sediou o evento, realizado no último dia 23.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *